Central Sindical
 
UNIÃO SINDICAL DOS TRABALHADORES










 

Carlos Borges
Presidente  Nacional
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
               
 
Sindicato Técnico de Imobilizações Ortopédicas e ASTEGO
filiam-se à UST
Na semana passada, o SINDTIO - Sindicato Técnico de Imobilizações Ortopédicas – TIO e ASTEGO Associação Brasileira do Técnico de Imobilizações Ortopédicas – TIO, da área da saúde, oficializaram suas filiações à Central Sindical UST. As decisões ocorreram após um amplo processo de debate, entre as direções do SINDTIO, com a direção estadual da Central.  A UST, a partir de agora, estará participando e apoiando todas as negociações e mobilizações dos trabalhadores de Imobilizações Ortopédicas, para garantir esta e outras conquistas junto com o SINDTIO tem como luta principal a questão da jornada de 30 horas para os profissionais de Imobilizações Ortopédicas. A tática da categoria para conquistar esta jornada é mobilização nacional, para aprovação de uma legislação própria no Congresso Nacional; Assembleia estadual, para aprovar leis nos municípios e garantir este direito. A UST apoiará e participará das ações, tanto no Congresso, quanto nos municípios.  A UST comemorou estas duas novas filiações, que são importantes para a Central e convidamos o Presidente Nacional da ASTEGO e SINDTIO, companheiro Aylton Fernandes dos Reis a intrigar o Conselho Nacional Politico da UST, como Diretor Nacional.julho 2014
Encontro sindical Internacional Anti-imperialista      
aprova tese política
Terminou na última quarta-feira, 2 de 2014, o Encontro sindical Internacional Anti-imperialista que reuniu milhares de sindicalistas de 24 países que participaram do grandioso ato de abertura que ocorreu em Cochabamba, na Bolívia. A atividade foi promovida pela Federação Sindical Mundial (FSM), Central Obreira Boliviana (COB) e o governo daquele país e contou com a presença na abertura e encerramento do presidente boliviano Evo Morales, a Central Sindical UST – União Sindical dos Trabalhadores, foi representada pelo Presidente Carlos Borges.  Foi aprovada a Tese Política Anti-imperialista, contra as oligarquias e a hegemonia do capitalismo (Tese leia aqui) que denuncia a hegemonia politica do império contra os países e povos, como exemplo foi lembrado o sequestro do avião do presidente boliviano Evo Morales, que ficou retido por quatorze horas em Viena impedido de sobrevoar pelos países da Europa por ordem dos Estados Unidos, como ato de intimidação ao governo boliviano. O secretário-executivo da Central Operária Boliviana (COB), Juan Carlos Trujillo, fez a leitura das resoluções que aprovado se converteu em tese política que servirá referencia para enfrentar o capitalismo e unificar do movimento sindical classista internacional frente ao imperialismo capitalista e também, refletiu-se sobre o programa de transformações politica do processo boliviano, o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos a Cuba há mais de meio século, o processo de paz na Colômbia, a defesa da soberania da Venezuela, o direito da Bolívia à uma saída ao mar e da Argentina de recuperar as Ilhas Malvinas.Evo Morales  conclamou a classe trabalhadora a disputar os rumos dessa nova América e não permitir retrocessos e o secretário-geral da FSM, George Mavrikos, denunciou a hipocrisia do EUA e seus aliados em defender a democracia e os direitos humanos, invadem e agridem nações. “Na verdade, eles buscam o domínio político e o saque dos recursos naturais desses povos”.  Declarou o secretário-geral da COB, Juan Carlos Trujillo, que todos estavam ali para defender unidade da classe trabalhadora, estratégia fundamental para o enfrentamento a essa ofensiva imperialista.

Evo Morales  conclamou a classe trabalhadora a disputar os rumos dessa nova América e não permitir retrocessos e o secretário-geral da FSM, George Mavrikos, denunciou a hipocrisia do EUA e seus aliados em defender a democracia e os direitos humanos, invadem e agridem nações. “Na verdade, eles buscam o domínio político e o saque dos recursos naturais desses povos”.
Declarou o secretário-geral da COB, Juan Carlos Trujillo, que todos estavam ali para defender unidade da classe trabalhadora, estratégia fundamental para o enfrentamento a essa ofensiva imperialista.




Todo apoio ao povo palestinos!
Palestina livre!

A Central UST/Brasil repudia o brutal bombardeio do governo sionista de Israel contra povo palestino na Faixa de Gaza.

A Central Sindical dos Trabalhadores – UST, central sindical dos trabalhadores brasileiros que luta contra a exploração patronal, contra o imperialismo e que sempre se posicionou pela solidariedade internacional da luta dos trabalhadores, repudia o brutal ataque com mísseis do governo sionista de Israel contra as cidades da Faixa de Gaza.  Esses bombardeios já vitimaram mais de 70 palestinos entre mulheres, homens, idosos e crianças. Também já deixou mais de 500 feridos e centenas de desabrigados devido às potentes destruições provocadas pelas bombas sionistas.

É necessária a solidariedade e a unidade de todos os trabalhadores do mundo para frear esse abominável ataque à vida humana e a autodeterminação dos povos, uma vez que o Estado de Israel foi algo criado dentro da nação palestina. Os sionistas israelenses vêm promovendo uma intensa campanha de limpeza étnica, o mesmo promovido por Hitler e suas hordas nazistas contra o povo judeu, com o apoio descarado dos Estados Unidos, seu principal aliado na região e que tem o objetivo de dominar todo o oriente médio.  A luta dos trabalhadores é internacional! Por isso é necessário uma mobilização mundial contra o genocídio do povo palestino que lutam pelo direito de viverem em paz.  Devemos promover um grande boicote a Israel e exigir que todos os responsáveis sejam julgados e condenados por crime de lesa humanidade no Tribunal Internacional.


 

Sinprecam - Sindicato dos trabalhadores da Prefeitura de Aquidauana-MS filia-se à UST
Sinprecam - Sindicato dos trabalhadores da Prefeitura de Aquidauana importante sindicatos de trabalhadores, formalizaram filiação à UST, integram oficialmente o quadro de filiados da central sindical UST. A solenidade, para celebrar a filiação aconteceu na sede do sindicato, Prestigiaram o evento, o presidente da UST-Mato Grosso do Sul, Edilso. Passo importante que o sindicato esta dando, fortalecendo sua organização, ganhando musculatura para o debate vigoroso sobre funcionários públicos. O sindicato é uma instância permanente de debate e aperfeiçoamento das instituições e dos serviços dirigidos à sociedade.
As transformações sociais das quais necessitamos, passam também pela atividade livre, responsável e permanente dos sindicatos, é fortalecer sindicatos e a luta do trabalhador.  julho 2014
        


Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itanhaém filia-se à UST
A Central Sindical UST esteve na segunda-feira (7-7-2014), em Itanhaém, região do Litoral Paulista, para participar da reunião de filiação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Na sede do sindicato estiveram presentes Diretores Sindicais e os dirigentes da UST, Carlos Borges, Presidente, Enivan Gomes, Diretor Nacional de Mobilização e Louzada Diretor Estadual. Para assinar a ficha de filiação com a UST. Destacamos a participação no evento, o companheiro Cesar Presidente Nacional do PUMA.
O Presidente do STR, Arnóbio Vieira da Silva, destacou os avanços de sua gestão e a esperança de fortalecer ainda mais o cenário rural Itanhaém.(7 de julho de 2014)








Suporte, Assessoria e Consultoria
às Entidades Sindicais
 
UST para melhor atender às necessidades dos sindicatos, organizamos o Departamento Jurídico, para abranger a demanda de consultoria jurídica e administrativa dos sindicatos.  Os Sindicatos, federações e Confederações terão a oportunidade de enviar questionamentos  sobre os procedimentos sindical.






CONTATO
 
Dr. William
 
juridico@ust.org.br
 
Suporte  Comunicação
 
Comunicação desenvolve o site Sindical e suporte na elaboração de jornais, informativos e logomarcas e Assessoria de Comunicação em campanha das eleições  sindical.


Assessoria Jurídica
 
Assessoria Jurídica nas áreas Trabalhista, Previdenciária e Negociações Sindicais, Documentações, além dos estudos, para acordos coletivos juntos as todas as categorias de classe.


Consultoria Administrativa

 
Consultoria como desenvolve a  e fundação da Entidade Sindical e Associação de Classes, além do acompanhamento do processo junto ao Ministério do Trabalho

Salário mínimo deveria ser de R$ 3.079,31, afirma Dieese

O salário mínimo para a família brasileira em maio deveria ter sido de R$ 3.079,31, ou seja, 4,25 vezes o mínimo em vigor, de R$ 724, de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

O cálculo é feito com base no custo apurado para a cesta básica da cidade de São Paulo e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. Em abril, o mínimo necessário era menor, equivalendo a R$ 3.019,07, ou 4,17 vezes o piso vigente. Em maio de 2013, o valor necessário para atender às despesas de uma família chegava a R$ 2.873,56, o que representava 4,24 vezes o mínimo de então (R$ 678). UOL, 05/06/2014

Centrais debate fortalecimento da FSM no Brasil

O Coletivo Internacional da Federação Sindical Mundial (FSM) no Brasil reuniu-se, na última quarta-feira (28) no Sindicato dos Marceneiros em São Paulo, para debater e organizar as ações que serão realizadas em 2014-2015 para fortalecer a organização.

Durante o encontro no qual participaram representantes da CTB, UST, NCST e Intersindical foram apresentados pontos prioritários como a formação, a comunicação, articulação com as Uniões Internacionais dos Sindicatos (UIS) das diferentes categorias e com as federações e sindicatos para cumprir este objetivo. Dentre as principais atividades que ocorrerão no próximo semestre destacou-se a necessidade de fortalecer o 3 de outubro – Dia Internacional de Ação da FSM – onde em todo o mundo ocorrem protestos para lembrar as lutas da classe trabalhadora, neste ano o tema será o combate ao desemprego. Para dinamizar a comunicação, informou Divanilton, será elaborado um boletim eletrônico e impresso e teremos maior atividade nas redes sociais. Outro ponto abordado na reunião foi a necessidade da formação sindical para que os dirigentes conheçam a história e trajetória da organização classista e haja maior divulgação de documentos como o Pacto de Atenas. Em relação ao simpósio que ocorrerá no Brasil em alusão aos 70 anos da FSM em 2015, foi sugerido agregar à atividade ações de rua para que se dê maior visibilidade ao evento. Também foi debatido a realização de uma campanha de filiação à Federação Sindical Mundial. A próxima reunião do coletivo ficou agendada para o dia 8 de julho e será focada na articulação para o Dia de Ação Internacional da FSM. Também participaram deste encontro representantes de diversas categorias das UIS e federações filiadas às centrais.


UST Sergipe
Fragmentos da historia: Hoje terça.feira, 8, Sergipe celebra 194 anos de emancipaçao politica do dominio lusitano. Pois bem, durante 230 anos Sergipe esteve ligado a Bahia por laços politicos indissoluveis. Sergipe que houvera sido conquistado em 1/01/1590 por Cristovao de Barros, teve seu territorio incorporado a Bahia em 1793, junto com Ilheus e Porto Seguro, recuperou a autonomia pelo Decreto regio de 8/07/1820, por D. Joao VI, sendo nomeado para ser governador, o brigadeiro Carlos Casar Bulamarqui. A Bahia nao reconheceu o ato, e somente em 1823, Sergipe passou de Capitania a Pronvicia, sendo nomeado o tambem brigadeiro Manuel Fernandes da Silveira. Neste ano, Sergipe possuia 226 engenhos de açucar, produzindo 12 mil caixas; com uma arrecadaçao de 182:000$, nao chegando as despesas a 60:000$. Cristiano Batista dos Santos. Jornalista/Arbitro de Direito/Bacharel e Mestrando em Teologia/Filiado a Fenaj - Federaçao Nacional dos Jornalistas/Diretor nacional da UST - Uniao Sindical dos Trabalhadores/Conselheiro titular do Conselho Estadual de Emprego e Renda de Sergipe.

Sindicatos dos Bombeiros Civil Espirito Santo

Chapa única eleita, liderada por Zivan Tavares
Bombeiros Civil do Espirito Santo referendaram o projeto político
da direção eleita na última sexta-feira 16 de maio de 2014.
 
Compareceram às urnas mais de 58,9% dos bombeiros aptos a votar. A chapa 1 - única - da UST, encabeçada pelo presidente eleito Zivan Tavares, recebeu apoio por unanimidade dos votos válidos, esta votação representa nossa responsabilidade na busca de novas conquistas. Queremos os trabalhadores participando e valorizando esta ferramenta de conquistas que é o Sindicato.
A eleição contou coma presença do companheiro Carlos Borges Presidente Nacional da UST, o companheiro o Presidente Derivaldo Alves da Fenabci - Federação Nacional dos Bombeiros Civis e companheiro Luiz Carlos Amauri do Sindicato dos Contadores do Espirito Santo.
O Presidente Zivan, destaca que a eleição foi um importante termômetro ao demonstrar que os trabalhadores vão participar do sindicato para ampliar a várias ações promovidas pela entidade. Com a nova Diretoria eleita voltou credibilidade na base na luta por acordos com reajustes salariais acima da inflação e avanços em questões básicas.
Foi uma eleição que deu grande visibilidade e consolida as bandeiras de luta da Central UST no Estado com a continuidade do processo de renovação do movimento sindical, que desafia a investir cada vez mais em formação politica dos bombeiros civil, que já está previsto curso de formação pelo Presidente Derivaldo da Fenabci, logo após a Copa do Mundo.

UST no Primeiro de Maio em Havana

Milhares vão às ruas

Milhões de cubanos inundaram hoje as praças da Revolução em Havana - Cuba, para celebrar o Dia Internacional dos Trabalhadores, Um grande ambiente festivo se respirou nas ruas de Havana, onde desfilou a classe trabalhadora portando cartazes referentes à data e fazendo soar apitos, matracas, tambores e outros instrumentos musicais. Além de reiterar o chamado ao apoio popular, manifestações voltaram a protestar contra os EUA.
O Primeiro de Maio serviu para reiterar o apoio de Cuba ao governo da Venezuela, seu principal aliado político e econômico, e ao presidente Nicolás Maduro "diante das ações desestabilizadoras da direita reacionária" no país sul-americano.
Palavras de ordem em defesa do socialismo e contra o bloqueio imperialista imposto pelos EUA traduziram o caráter da manifestação e conferiram a cor e a força singular do 1º de Maio em Cuba. Cerca de dois mil sindicalistas estrangeiros, provenientes de 72 países e representando 265 entidades sindicais estiveram presentes. Concentrada nas proximidades da Praça da Revolução, a multidão promoveu uma animada passeata pela avenida Lázaro Penã, enfeitando a marcha com bandeiras de Cuba e retratos de Fidel, Raúl, Che, Chávez, os cinco patriotas presos nos EUA e outros líderes revolucionários. O principal dirigente da CTC, recentemente eleito vice-presidente do país, defendeu a integração solidária dos povos da América Latina e Caribe em resposta ao projeto do imperialismo e destacou a participação e o crescente protagonismo do movimento sindical no novo cenário político que emergiu após a eleição de Hugo Chávez, em 1998, e de outros líderes progressistas na região, como Lula, Evo Morales, Pepe Mujica, Rafael Correia e Daniel Ortega, que rejeitaram a ALCA e criaram a Unasul e a Celac.  Valdez também fez referência às mudanças que o governo revolucionário está promovendo em Cuba, com o propósito de construir um “socialismo próspero e sustentável”.
             
 SOLIDARIEDADE AOS INDÍGENAS EM LUTA NO MATO GROSSO DO SUL

O MST manifesta solidariedade aos indígenas que lutam no Mato Grosso do Sul em defesa dos seus territórios e contra a apropriação das terras pelo agronegócio. O Estado brasileiro, com a decisão de expulsar os indígenas da fazenda Buriti e a ação da Polícia Federal para fazer a reintegração de posse no município de Sidrolândia, age para defender o direito dos fazendeiros, em vez de cumprir o que está previsto na Constituição. 

O governo federal prioriza o atendimento dos interesses do agronegócio, que ameaça a vida dos camponeses, indígenas, quilombolas e povos tradicionais. A omissão diante da morte dos indígenas em luta revela a falta de sensibilidade das autoridades. 

O agronegócio, enquanto modelo dominante de organização da agricultura e do meio rural no Brasil, é sustentado na aliança dos fazendeiros capitalistas com empresas transnacionais, que avançam para controlar as nossas terras e a produção agropecuária. 

.                                .