Central Sindical
 
UNIÃO SINDICAL DOS TRABALHADORES
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 



 
 
 


 
 


 
 

 
 
 
 
 
IICongresso Internacional
Sindicatos Hotéis e Turismo
A fim de avançar no processo de integração dos sindicatos dos Hotéis e Turismo, UIS – União Internacional Sindical realizou o II Congresso Internacional no Sri Lanka –Ásia
 
UST participa do Congresso Sindical Internacional Hotéis e Turismo
 
Após dois dias de intensos debates, os representantes sindical da categoria e dezenas de organizações sindicais da Europa, América, África e Ásia cumpriram a agenda de discussões propostas do Sindicalismo de Luta, realizado em Colombo, no Sri Lanka, entre os dias 15 e 16 de dezembro 2014. A delegação da UST foi composta por 2 delegados, o presidente Carlos Borges e a Izildinha Machado Departamento Jurídico da UST. O II Congresso é positivo para se ter um panorama do movimento de sindicalismo internacional e alternativo como ele se organiza em quatro continentes, da América, Europa, África e Ásia. A fim de avançar no processo de integração dos sindicatos, foi apresentada o manifesto defende ainda à autodeterminação dos povos, com destaque para a luta de Cuba contra embargo dos EUA . 
Entre os temas discutidos estavam a crise do sistema capitalista, as respostas dos trabalhadores e como construir um relação dos movimentos sociais e o sindicalismo de luta, envolvendo desde a precarização do trabalho até a opressão das mulheres, ( só tinha duas companheiras no congresso),  e propostas de campanhas e iniciativas comuns.
 
 
 
 
 
Paulo César Dutra (UST-ES)      paulodutra2002@yahoo.com.br

UST agenda 2015- Confraternização

 A Central Sindical União Sindical dos Trabalhadores – UST realizou no dia 29 de novembro de 2014, reunião nacional e confraternização em Campinas, São Paulo, que contou com as participações de dirigentes e lideranças sindicais de vários Estados. O presidente da UST, Carlos Borges, fez um balanço da Central 2014 e apresentou propostas para 2015, dando prioridade às novas filiações e fortalecimento das UST estaduais. “A UST unida, mobilizada e representativa. Temos que brigar pelos direitos da classe trabalhadora para sermos reconhecidos”, disse o presidente da Central.
Na abertura Carlos Borges fez um balanço de 2014, sobre as conquistas da Central junto à classe trabalhadora e da importância da entidade que está crescendo e vai crescer muito mais, principalmente diante do episódio que vive o atual governo federal. Frisou bem que a Central tem que sair de São Paulo para fortalecer as entidades estaduais, para ser reconhecida no país e no Mundo.
Laércio por sua vez disse que a Central passa por um momento de mobilização e com certeza de muita luta para conseguir atrair mais sindicatos e militantes. “A UST faz uma política sindical correta e sem mentira para os trabalhadores e trabalhadoras do nosso país. Então temos que aproveitar o bom momento fortalecer a Central e convidar novos associados para a UST”, disse Laércio.
 Carlos Borges fala novamente sobre proposta e mudança na estratégia para agenda 2015, com uma nova postura de cumprir a tarefa de ampliar espaço no movimento sindical com filiações sindicais e recompor os quadros com novas lideranças sindicais, para avançar na organização e crescimento da Central. Ele propôs mais debates da Central com os sindicatos para a construção de uma agenda de lutas e ampliação da UST nacional. Em seguida Carlos Borges abriu a palavra para as manifestações dos participantes, quando alguns deles falaram de suas entidades e das suas lutas. Carlos Borges encerrou a reunião agradecendo as presenças e convidou todos para a confraternização com almoço com churrasco e bebidas.
 


XII Congresso Mundial dos Sindicatos Funcionários Públicos
Convite
13-14 fevereiro de 2015, Kathmandu - Nepal

A UIS – União Internacional Sindical Funcionário Publico em conjunto com a Federação Sindical Mundial-FSM – e o sindicato  CONEP e NEGEO do Nepal chamar todos os filiados da FSM e sindicatos amigáveis do setor de serviços públicos para participar do XII Congresso Mundial dos Sindicatos da Função Pública Empregados e Afins, que será realizada em 13-14 fevereiro de 2015.

Trabalhadores do mundo de serviços públicos enfrentam dificuldades e desafios críticos. O políticas de trabalho implementadas pelos governos capitalistas, as políticas de cortes na despesa do Estado, a privatização dos serviços públicos e setores-chave da economia são invariavelmente realizado à custa dos trabalhadores e do pessoas. As privatizações em vários países resultaram na deterioração da serviços públicos, aumentando os custos associados com eles, bem como à perda do controle soberano de setores estratégicos fundamentais para os países "social e desenvolvimento econômico. Eles também têm marcado a deterioração e perda de trabalhadores e sindicais direitos dos trabalhadores do serviço público, no geral contexto da ofensiva anti-trabalhista contra a classe trabalhadora em geral. O XII Congresso Mundial dos Sindicatos dos Trabalhadores em Serviços Públicos vai tentar analisar a situação dos trabalhadores do setor público em todo o mundo enfrentando e definir ações para organizá-la ação unificada.

 

Laércio  Diretor Financeira e Marcio Vice Presidente
O presidente da UST, Carlos Borges, parabenizou os dirigentes que trabalharam para renovar a direção da Central e destacou a importância da luta pela garantia da ampliação dos direitos.  Com a posse na Diretoria Financeira Nacional do Presidente do Sindicato de Autoescola de São Paulo, Laércio Pinhel, o Presidente do Sindicato Pró-Beleza de São Paulo, Marcio Roberto, assume a Vice Presidência Nacional da UST.  Essa renovação da direção nacional é fundamental para o projeto de construção de uma sociedade justa, democrática e igualitária, os jovens têm de fazer política organizando os trabalhadores para defender sua classe.   Carlos Borges parabenizou os novos diretores e lembrou da importância deles para luta e politizar os trabalhadores brasileiros.

                  
Presidente da UST Nacional Carlos Borges realiza visita a sindicatos em Santa Catarina
 
O Presidente Nacional da UST, Carlos Borges, junto com o companheiro Ivan líder catarinense, foi a Santa Catarina nesta semana, para realizar uma série de visitas a sindicatos. Na programação, realizou encontros com dirigentes locais e visitas aos Sindicatos de Florianópolis.

O Companheiro Ivan Bittencourt instalou a sede da UST Santa Catarina na Capital Florianópolis, fone da sede  48 3035 7002.  

SINTESP filia-se à UST
SINTESP- Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Publica, Campo Grande – MS, oficializou a filiação à Central Sindical UST, por meio da assinatura da documentação de filiação, em reunião na sede do sindicato. A filiação à UST irá fortalecer a categoria que é estratégica para a nossa luta.  Edilso Vieira

UST do MS apóia Trabalhadores Haitianos
UST do Mato Grosso do Sul, Edilso Vieira, reúne com o Trabalhador do Haiti para oferecer apoio e suporte para resolva o mais urgente a incerteza e estabilidade ao trabalhador Haitiano.
UST SÃO PAULO REUNIDA

A diretoria estadual da Central UST São Paulo reunida em Campinas, Presidido pelo companheiro Laércio, assume mandato com o compromisso em avançar nas conquistas para o movimento sindical e propõe gestão Ética, trabalho e Compromisso com as entidades filiadas e simpatizantes da UST. O evento contou com a participação de lideranças sindicais e colaboradores que prestigiaram o evento. Onde destacou que uma nova era se inicia e tem o desafio de trazer filiações sindicais. No final do evento foi servido um almoço para os presentes.

      

  
           

BRASIL – Central Sindical UST   

Dia Internacional de Ação luta contra desemprego mundial

 
Dia Internacional de Ação da Federação Sindical Mundial (FSM), em defesa do trabalho digno, a Central UST realizou encontro que debateu a importância desta data para o sindicalismo mundial e a historia da FSM e sua contribuição para liberdade da humanidade, com a presença de mais de 10 sindicatos de trabalhadores e duas federações de sindicais. Com a crise do capitalismo, no Brasil o desemprego é baixo, mais com agravante, os empregos são de baixa remuneração e o poder de compra do trabalhador em queda.




 
 
 
Federação Sindical Mundial
 
3 de outubro 2014
Salário mínimo da FOME     
O salário mínimo vigente estabelecido pelo governo, calculado pela equipe econômico e aliados do PT, é R$ 724,00. Já o salário mínimo necessário real é o salário mínimo estabelecido pela Constituição Federal, e calculado pelo DIEESE, é R$ 2.861,55. Apropria-se mensalmente do salário do trabalhador  74,70 % representa R$ 2.135,55.

Nova Diretoria provisória

A solenidade da posse política nova Diretoria provisória acontecerá em Belém do Pará para reger a organização do próximo congresso estadual. O presidente da UST Pará Joaquim Tavares defende que se torna necessária a realização da campanha de filiação de sindicatos na UST, a expectativa dos lideres é  no sentido de filiação sindical, permitindo um fortalecimento da classe trabalhadora do Pará.
União Internacional de Sindicatos
dos Trabalhadores do Transporte
       Durante os dias 5 e 7 de setembro de 2014, realizou-se na cidade de Santiago, no Chile, o XIII Congresso da União Internacional Sindical (UIS) Transporte e que contou com a participação de 80 representantes sindicais de 27 países, para debater a situação dos trabalhadores e trabalhadoras do setor de transportes e de comunicação, além de apontar novas políticas de lutas contra a exploração patronal.  A Central Sindical União Sindical dos Trabalhadores (UST) participou ativamente das atividades e dos debates no congresso, sempre defendendo sua posição classista, democrática e independente. Defendeu também a necessidade de trabalhar a formação político-ideológica dos trabalhadores se comprometeu em aplicar as resoluções aprovadas no Brasil. Entre os novos membros eleitos para a gestão 2014-2018, Wilson Santos, vice-presidente internacional da UST e filiado ao Sindicato dos Aeronautas, foi eleito responsável pela Comissão de Transporte Aéreo.  A UIS Transporte é uma organização setorial da Federação Sindical Mundial (FSM), que agrupa os trabalhadores dos transportes marítimos, terrestres, aéreo e também trabalhadores do setor de comunicação. É uma organização classista, democrática e combativa.  Desde a chegada dos delegados até o último dia do congresso, foram realizadas intensas atividades como a participação na Marcha Pelos Direitos Humanos, em comemoração do 11 de setembro de 1973, Golpe Militar Fascista no Chile.  Após a abertura oficial do congresso, foi dada a palavra para os delegados fazerem da tribuna um espaço de denúncias, críticas e construção do movimento sindical classista tão necessário para combater as políticas antitrabalhistas promovida pelo capitalismo em crise mundial. Por meio das diversas intervenções dos companheiros e companheiras dos vários países, notou-se um apelo urgente pela unidade dos trabalhadores contra o mesmo inimigo: o capitalismo.  Apenas a organização classista dos trabalhadores do mundo pode vencer a repressão promovida pelos patrões contra o movimento sindical classista. Assim, com esse consciência combativo os delegados elegeram a nova direção executiva que terá a dura tarefa de desenvolver a luta sindical classista por mais quatro anos.



.                                .